Marmita de Papin ou a Minha Pressionella

por Sal e Sol

Recentemente ganhei um presente muito especial. A Luiza (mãe do Felipe), me deu uma panela de pressão! Pode parecer uma bobagem, mas sempre tive um certo receio de panelas de pressão, pois quando começam a fumaçar como uma chaminé, soltando fumaça pelas ventas como um dragão, com sons assustadores, sempre parei e pensei na loucura das moléculas dentro desse recipiente. Como Lua Jacaré também é cultura segue uma breve explicação do funcionamento dessa traquitana inventada por Denis Papin, um francês nascido em 22 de agosto de 1647, que aos 32 anos inventou a chamada Marmita de Papin (máquina a vapor) considerada a precursora da nossa querida panela de pressão.

Monsieur Papin e sua Panela de Pressão!

A panela de pressão é um tipo de panela na qual os alimentos são cozidos a temperaturas acima do ponto de ebulição da água, nas condições normais de temperatura e pressão, de forma que, os alimentos são cozidos mais rapidamente.

Sua tampa possui duas válvulas, sendo uma de segurança e outra para controle de pressão. Essa tampa fecha a panela hermeticamente, fazendo com que a pressão dentro da panela chegue a atingir 2 atm e a temperatura 120 °C.

Assim o feijão que levaria 4 horas para cozinhar, fica pronto em 30 minutos. Essa redução no tempo de cozimento, representa uma grande economia dos nossos recursos energéticos e monetários ($). =)

De posse de informações mais precisas resolvi colocar esse invento extraordinário para funcionar. Fiz o Meu Feijão ou o Feijão Coletivo  afinal nesse mundo onde existe coletivo pra tudo, seja na fotografia, na música, no jornalismo, porque não fazer um processo colaborativo na culinária, né?!

Esse feijão tem autoria de várias pessoas que liguei para saber seus pontos de vista sobre o fazer feijão do seu jeito, e assim criei o meu.

A minha Pressionella em ação!

Um dia divulgo a receita, afinal tenho medo de explicar errado, alguém explodir sua panela e eu ficar com peso na consciência por uma vida inteira. Além disso, não é um feijão clássico, ele leva abóbora/jerimum, molho de tomate, bacon, linguiça defumada e uns ingredientes a mais, não sei quem poderia gostar!

Enfim, minha panela de pressão foi gentilmente apelidada de Pressionela (nome que veio de fábrica como cachorrinhos de pet shop, que tive medo de mudar e ela ter crise existencial)!