Cuscuz da minha terrinha

por Sal e Sol

meu cuscuz

Surpresas sempre acontecem com os diferentes nomes para um mesmo alimento, quando se fala em um país gigante como o Brasil. O Cuscuz é um desses casos, em Pernambuco cuscuz é aquela coisa feita com farinha de milho, em uma cuscuzeira (panela que cozinha a vapor) geralmente servido com ovos fritos, carne de sol ou carne de charque (eis aqui outra diferença regional!) ou, até mesmo, uma boa carne de bode para os que tem mais disposição no café da manhã. Já em São Paulo cuscuz é algo temperado com legumes e ovos, feito em uma forma com furo no meio servido geralmente no almoço ou no jantar.

começo a sonhar com Queijo de Coalho

Custei para encontrar a minha cuscuzeira de ágata, fato que só aconteceu no ano passado em uma cidade do interior de São Paulo chamada Araçoiaba da Serra. Com ela, vez por outra, me dou o “luxo” de um café da manhã – com a chamada “sustança” – daqueles que costumava ter quando ainda era uma moradora de Olinda.

Nada contra o cuscuz paulista, muito menos contra o marroquino que amo de paixão e que deveria consumir mais pela praticidade do preparo, mas o meu cuscuz (Nordestino como chamam!) eu amo mais do que todos os outros.

Seja com uma bela fatia de queijo frito e uns micro pedacinhos de bacon só pra dar um sabor ou imerso em leite de coco com açúcar polvilhado por cima, seja no café da manhã, almoço, lanchinho da tarde ou jantar, cuscuz me deixa simplesmente feliz e minha cuscuzeira querida nunca me abandona.

Mas sabe o que mais me deixou impressionada nesse último café da manhã? Fritar essa fatia de queijo meia cura. Isso só aumentou a minha vontade de comer queijo de coalho, fazendo a minha vontade de fazer o meu próprio em casa. Acho que vou dar um jeito nisso em breve.

Agora imagine: juntar Cuscuz, Bolo de Rolo e Queijo de Coalho, com um cafezinho de coador?! É o que eu chamo de tele transporte gastronômico!