Extra, Extra, Extra: Fábrica de Pães volta a funcionar

por Sal e Sol

 

Olha, ultimamente tenho prometido mundos e fundos no instagram sempre que publico alguma coisa que sai da cozinha.

Tenho cozinhado mais do que há uns meses atrás e menos do que gostaria. Tudo isso porque tenho estado bem atrapalhada com uma série de novidades rolando por aí.

Duas coisas eu posso afirmar, tenho sentido imensa vontade e prazer em cozinhar. Ah, e reabri a minha pequena fábrica de pães caseiros para consumo próprio. Por enquanto ando desenferrujando e aquecendo os tamborins, mais em breve experimentos malucos, malucões estão por vir junto com dois livros que estão em pleno espaço sideral entre a Amazon.com e a minha casa.

Para a grande reabertura da fábrica resolvi dar um basta no medo do pão com fermentação natural, o levain, e irei começar os experimentos pós feriado já que se trata de um ser vivo que precisa ser alimentado.Por enquanto muita leitura, pesquisa e promessas.

Outra novidade, ganhei uma verdadeira máquina de presente de casamento. Pois bem, casei de papel passado e tudo mais. A máquina parece ter saído da Tropa de Elite, é “faca na caveira” mesmo. Uma Kitchenaid Pro 600 delícia para fazer milhões de quitutes arrasadores (tipo se achando só porque tem uma batedeira que ainda nem ligou na tomada) e, os mais esperados: brioche e ciabatta.

A primeira fatia do brioche já tem dono, Bia Matuck querida amiga que lembrou das minhas aventuras culinárias em uma viagem recente dela a Paris e me trouxe uma forma linda, meiga, fofa e necessária para uma padeira-iniciante-amadora que não quer ser de araque.

Ciabatta para comer com a burrata top que compramos essa semana, tipo morri-puff quando provei a deliciosa e surpreendentemente cremosa burrata Balkis.

É isso e ainda tem mais novidades vindo por ai! Aguardem. rsrsrsrrs