Pança News

por Sal e Sol

photo

30 semanas, tipo 6 meses e meio, tipo estamos quase lá

Confesso que no começo fiquei triste, preocupada e ainda estou. Afinal o exame que diz que estou com diabetes gestacional foi na trave e entrou no gol. Por muito pouco eu poderia ter passado sem essa na gravidez. Como foi por tão pouco semana que vem vou fazer mais dois exames de glicemia para ver como andam as coisas.

Juro que não dá pra acreditar…

Depois que a ficha caiu eu pensei: “putz, não é tão difícil assim!” Mas é.

É porque você fica paranóica com cada coisa que coloca na boca. Parece que tudo se transforma em “açúcar”. Mesmo não sendo uma grande fã de doces, de não açucarar meus sucos, não comer horrores de pães e pizzas e afins, o mínimo que seja vai para a corrente sanguinea e vira açucar.

E aí você também percebe que não adiciona açucar às coisas, mas as coisas já estão cheias dele por si só.

Pães brancos quentinhos, com manteiga e geléia, bolinhos de banana, cappucinos esporádicos foram cortados da minha vida até a O. nascer. Agora é assim: tudo o que existir integral pois ajuda a evitar picos de glicemia, menos massa, mais salada, mais grãos…

E olha que ela nem me pediu para seguir uma dieta, mas e o peso na consciência que vem logo depois que você come algo “suspeito”!

Desanima. Desanima ir pra cozinha sem o Felipe em casa para almoçar comigo. Desanima pensar que poderia fazer geléia com umas ameixas que estão na geladeira, mas que não vou poder comer, desanima pensar no que pode acontecer se esse exame da semana que vem não sair exatamente como eu planejei.

Nem só de alegria vive a grávida, gente. Tem dias que a gente não quer se olhar no espelho. Parece que você se transforma em uma polpetta da noite para o dia, mesmo com o marido dizendo que você está “mara”. Pelo amor, como posso estar “mara” com essa dor no ciático, com as varizes querendo dominar o mundo e deixando minhas pernas novinhas em folha, roxas e vestindo essas meias elásticas super sexy a lá “a pele que habito”?

Peloamor. Mas quando você está lá na aula de pilates concentrando no períneo, lutando para contrair o músculo certo que você não tem muita certeza sobre sua localização e leva um chutinho gostoso do tipo ‘acordei’, seu humor volta a ser como era antes, a meia elástica parece não apertar, nem esquentar tanto assim, o ciático começa a melhorar, as varizes… infelizmente essas não dão trégua, mas você tem certeza de que é uma polpetta recheada. Pelo menos isso!

O que importa é que a ciabatta que está aqui no forno nasça saudável, linda e morena, porque loira não tem muita chance não. E não tem esforço no mundo que seja demais. Qualquer coisa é mamão com açúcar quando o coração de mãe é ligado de uma vez por todas. Ops, mamão sem açucar, até porque não carece não.

E com esse friozinho de começo de outono eu só penso em croissant com geléia…

Valha-me deus…