A Pequena Padaria 3: Pão de Centeio

por Sal e Sol

pao de centeio 1

Singer… eu que fiz. Hehehe! Finalmente, um pão com casca crocante. É inacreditável como os fornos domésticos não tem nenhuma preocupação em ser fiéis a realidade. 210 graus no caso do meu forno, deve ser 150, no máximo. Isso complica bastante a vida de quem não tem um termômetro de forno (aquisição urgente!).

Além dos ingredientes, do tipo de sova e do calor, a umidade é essêncial para dar crocancia a casquinha do pão. Meu forno, obviamente, não tem a função vaporizar, logo o método tabajara prevalece. Minha profa. de panificação tinha falado para colocar uma panela no forno enquanto ele está pré-aquecendo, com uma peneira daquelas de fazer legumes no vapor em cima, daí quando vai colocar o pão no forno é só jogar umas 3 pedras de gelo na peneirinha. Outro método que tenho lido a respeito é de borrifar as paredes e o chão do forno com uma garrafinha borrifadora (aquisição futura!).

Enfim, a casca dura era um dos meus grandes problemas, que parece ter sido resolvido dessa vez (melhor não cantar vitória antes da próxima tentativa)!

Outro problema é que com os enjôos da Olívia não estava conseguindo chegar perto do cheiro de fermento. Pra vocês terem uma ideia o enjôo foi tão feio que nem os livros de pão eu consegui abrir. Estavam intactos desde que a Amazon entregou. Para piorar quando resolvi voltar a cozinha parecia que a minha mão tinha vontade própria e fazia tudo errado. Essa semana quase me incendiei fervendo leite para o café da manhã. Perigo!

pao de centeio 3

pao de centeio 2

Mas tem que insistir né?! Eu criei coragem hoje e resolvi fazer um pão de centeio, afinal qualquer-coisa-integral é o que o meu corpinho está precisando.

Ai você vai a dispensa e pega suas fichas com receitas e descobre que sempre está faltando alguma coisa. Por mais que pão seja basicamente farinha, água, fermento e sal, sempre falta alguma coisa. Tive que recorrer a internet e como sempre o blog da Ana me salvou. A receita é dela, só dela, mas agora um pouquinho minha porque com certeza vou fazer muitas vezes. Só substitui o fermento fresco pelo seco, pois era o que tinha em casa.

torrada pao centeio corte pao centeio

O som oco quando bati com os nós dos dedos na parte de baixo do pão foi o primeiro sinal de que eu teria pão para o final de semana. O pão ficou bonito, mas poderia ter assado um pouco mais. Um bronze extra cairia muito bem. Sabor e textura muito agradáveis. Poderia ter sido mais delicada nos cortes com a lâmina gillette e talvez pudesse ter deixado fermentar um tantinho assim a mais. Como não tenho um banneton / bread basket improvisei com uma cestinha de vime coberta com um pano de prato limpo (óbvio!) enfarinhado. Ah, já o fermento foi misturado a 70% da água da receita e depois misturada aos secos. Diluí o mel no restante da água e fui dando o ponto da massa até chegar obter uma boa rede de glúten para deixá-lo fermentar em lugar quietinho e longe de correntes de ar na cozinha (no meu caso, dentro de um armário). Casquinha crocante, crocante, crocante. Nem acredito. =)